Água com gás: mitos e verdades

12 de dezembro de 2017. Categoria(s) Saúde

agua-com-gas-mitos-e-verdades

Indispensável na vida das pessoas, a água, se consumida várias vezes por dia, é responsável por garantir o bom funcionamento do nosso organismo. Mas será que a água com gás também traz benefícios à nossa saúde? A seguir, reunimos algumas dúvidas recorrentes sobre o consumo de água com gás para desmistificar as principais teorias sobre sua ingestão frequente.

Confira alguns mitos e verdades sobre a água com gás:

Água com gás faz mal?

A água com gás é resultante de um processo onde se dissolve dióxido de carbono (CO2) na água para criação de pequenas bolhas. Esse mesmo processo acontece com os refrigerantes, fazendo com que algumas pessoas associem os malefícios de um ao outro.

No entanto, o que diferencia os produtos não é a ingestão do gás e sim os componentes de sua fórmula. Por isso, ingerir água com gás nada mais é do que consumir água com bolhas, e os benefícios são os mesmos de quem ingere água sem gás.

A ingestão pode ser diária e frequente, e por não possuir açúcar é uma ótima aliada na substituição de refrigerantes. A água com gás pode ser aromatizada com frutas, folhas, além de ser ótima para consumo depois de excessos festivos alimentares e alcoólicos.

É verdade que água com gás emagrece?

Não. A água com gás não emagrece, mas auxilia muito na diminuição da ansiedade, provocando sensação de saciedade. Segundo estudo feito por cientistas da Universidade de Hyogo, no Japão, foi descoberto que pessoas que consumiram água com gás muitas vezes se sentiram inchadas.

Com isso, os pesquisadores constataram que a alta quantidade de gás liberada na água provoca uma pequena dilatação no estômago, que causa essa sensação. A pesquisa também afirmou que em nenhum momento houve qualquer mal-estar nos voluntários devido ao consumo e, por isso, passou-se a recomendar a sua ingestão como forma de diminuir o excesso alimentício.

Ingerir água com gás estimula o inchaço e a produção de gases?

Na verdade, como já dito anteriormente, o que ocorre é a dilatação do estômago por isso a sensação de saciedade, e não de inchaço. O consumo de água com gás também pode gerar eructação (arroto), que alivia e ajuda na distensão abdominal.

Já para quem sofre da Síndrome do Intestino Irritável (SII), é melhor evitar a ingestão de qualquer bebida gaseificada para não produzir ainda mais gases no estômago.

Alivia o desconforto gástrico e digestivo?

Sim. Embora nenhuma pesquisa prove cientificamente que a água com gás auxilia no alívio da indigestão, é de conhecimento médico e popular que ela ajuda na melhora dos sintomas causados pela dispepsia, como inchaço, náuseas, vômitos e dores após as refeições.

Para pessoas que foram diagnosticadas com gastrite, no entanto, é melhor evitar o consumo de água gaseificada. Isso porque os gases podem irritar a mucosa e produzir ainda mais lesões, aumentando o ferimento.

Consumir água com gás em excesso estraga os dentes?

Mito. Por enquanto, nenhum estudo comprovou que a água com gás faz mal aos dentes. A água com gás apresenta um pH que varia entre 5 e 6, enquanto que a água sem gás mantém seu pH neutro em 7. Mas o que isso quer dizer?

Em outras palavras, que há acidez, mas é considerada fraca. Comparada a refrigerantes, por exemplo, seu potencial erosivo é cem vezes menor. Ainda assim, orientamos que, mesmo não havendo nada que comprove malefícios aos dentes, você mantenha sua saúde bucal em dia.

Os ossos sofrem enfraquecimento pelo consumo de água com gás?

Mais um mito. Há inúmeros questionamentos sobre a ingestão de água gaseificada deixar os ossos mais fracos, ou fazer mal para o estômago. Novamente, estudos não comprovaram nenhuma anormalidade.

As pesquisas que apontaram algumas relações, como falta de cálcio ou osteoporose, foram feitas com bebidas gaseificadas à base de cola ou aditivos de açúcar e sódio, como os refrigerantes.

Esse efeito pode ocorrer por causa da adição da cafeína em refrigerantes de cola e da ação do ácido fosfórico (que não está presente na água com gás), que pode bloquear a absorção de cálcio pelo organismo – mas também não foi cientificamente provado.

Quem pode beber água com gás?

O consumo de água com gás pode ser feito por qualquer pessoa. Não há nenhuma contraindicação ou estudo que comprove que a água gaseificada faz mal à saúde, apenas, em alguns casos específicos, orientações sobre seu consumo devido à presença de gases.

Por dificultar a absorção de nutrientes pelo bebê, os médicos recomendam que as gestantes evitem o consumo excessivo de bebidas gasosas.

Também não há nenhum estudo que comprove o malefício da ingestão de água com gás por crianças, mas, assim como outras bebidas gasosas, ela não é recomendada para a idade.

Água com gás também hidrata?

Sim. A água com gás é tão hidratante quanto a água sem gás, porque traz consigo os mesmos benefícios. O que acontece é que, por ser gaseificada, a ingestão por vezes é mais lenta.

Consumir água com gás repentinamente pode causar soluços, devido à ingestão abrupta de gás. Essa pequena dilatação no estômago pode trazer uma sensação de inchaço, como já comentado, fazendo com que a ingestão de água seja menor.

Todavia, pode ser uma ótima aliada, pois se torna uma alternativa para pessoas que não têm o hábito de consumir água natural ou que são acostumadas a ingerir refrigerantes diariamente para matar a sede.

Beber água diariamente ajuda no melhor funcionamento do organismo?

Verdade. Estima-se que a quantidade média que um ser humano deve ingerir por dia de água seja 2 litros. Porém, essa quantidade pode variar de acordo com a atividade diária desempenhada. Para pessoas que realizam atividades físicas constantes, ou em dias mais quentes, a ingestão deve aumentar para que não ocorra desidratação.

Nosso organismo é composto por 60% a 75% de água, podendo variar de acordo com fatores como idade e sexo. Como não estocamos água, é preciso fazer a reposição diária da quantidade eliminada para que ocorra o funcionamento total do nosso organismo.

Com gás ou sem gás, é fato que o consumo de água auxilia nos processos fisiológicos de digestão, absorção e excreção. Além disso, o consumo diário de água é responsável por regular a temperatura corporal através da transpiração, hidratação de pele e cabelo, funcionamento dos rins e intestino e remoção de toxinas.