A importância da qualidade da água na produção de cerveja.

20 de agosto de 2018. Categoria(s) Sem categoria

água na produção de cerveja

A água é o principal constituinte da cerveja, correspondendo a aproximadamente 95% da bebida e, por esse motivo, suas características influenciam diretamente no estilo que será produzido. A água está presente em todos os processos, desde a fabricação, fermentação/maturação, filtração e higienização. Além disso, ela faz parte do processo de engarrafamento, na geração de vapor ou para sistemas de refrigeração, entre outras aplicações. Está aí o motivo pelo qual a qualidade da água na produção de cerveja tem tamanha importância.

Encontrada em diversas fontes no meio ambiente, a água pode ser captada em rios, lagos, fontes e lençóis subterrâneos. Em cada uma dessas formas estão dissolvidos diversos tipos de substâncias minerais, como sulfato, cloreto, magnésio, sódio, bicarbonato, cálcio, metais pesados e outros, fazendo com que a característica da água seja diferente de uma fonte para a outra.

É comum encontrarmos informações sobre a água de um determinado lugar ser mais indicada para produzir cerveja do que a de outro. Isso acontece devido à quantidade dessas substâncias presentes na água, que tem um papel direto nas características das cervejas produzidas.

Um exemplo disso é a famosa água de Burton on Trent – um dos principais locais onde se produzia cerveja na Inglaterra no final de 1800. A água de Burton é extremamente dura, sendo rica em sulfato de cálcio, característica que contribuiu no processo de fabricação das primeiras cervejas do estilo India Pale Ale.

Leia também: O que é melhor para a saúde: água gelada ou em temperatura ambiente?

Outro exemplo, é a água da cidade de Pilsen, na República Tcheca, que apresenta pouca quantidade de sais, sendo apropriada para a elaboração das  cervejas claras e lupuladas do tipo Pilsen.

Já em Munique, a água é rica em carbonato de cálcio, ideal para a cerveja escura do tipo Munique. É devido a essas variações nas características da água em diferentes regiões que são desenvolvidas receitas de grandes estilos. Aliado aos demais ingredientes que compõem a cerveja, na medida em que os açúcares são produzidos, o efeito da química da água é realçar o sabor da cerveja.

Contudo, com os recursos tecnológicos que possuímos hoje, é possível tratar a água e ajustar suas características de acordo com o tipo de cerveja que se pretende produzir em qualquer lugar do mundo.

Para que a quantidade de substâncias químicas não interfiram nas características da  cerveja, alguns parâmetros básicos de qualidade da água utilizada – seja ela de superfície ou de fontes subterrâneas – são monitorados e ajustados, como pH, condutividade elétrica, potencial de oxiredução, turbidez, monitoramento da temperatura e nível estático.

A água, os minerais e a cerveja

A água é classificada de acordo com a quantidade de minerais que possui, sendo que essa classificação é feita pela concentração de minerais presentes na água. Partes por milhão (ppm) é a medida de concentração utilizada para expressar a quantidade em soluções muito diluídas:

  • 0 – 50 ppm: água “mole”;
  • 51 – 110 ppm: água “média”;
  • 111 – 200 ppm: água “dura”;
  • 201 ppm em diante: água “superdura”.

Cálcio

É considerado o principal mineral e determina a “dureza” da água. Ajuda a promover o sabor da cerveja e também é importante por conta de suas atividades enzimáticas sobre outros componentes e de seu efeito acidificante.

Magnésio

Também contribui de forma significativa para a “dureza” da água. Em pouca quantidade, o magnésio serve como nutriente para as leveduras. Em grande quantidade, dá um sabor amargo à cerveja.

Bicarbonato

Entre a família dos carbonatos, é o que domina a composição química da maioria das fontes usadas para a fabricação de cerveja. É a principal forma de carbonato na água com pH inferior a 8,4.

Cloreto

Ajuda a acentuar a doçura do malte. Sua concentração não deve passar dos 250 ppm, pois pode impactar nas atividades das leveduras ou dar um sabor salgado para a cerveja.

Sulfato

Junto com cálcio e magnésio, contribui para deixar a água mais “dura”. Sua grande qualidade é acentuar o amargor do lúpulo, fazendo com que ele pareça mais seco. Porém, pode deixar a cerveja com sabor adstringente.

Sódio

Também ajuda a acentuar a doçura do malte. No entanto, se a sua concentração ultrapassar os 150 ppm, pode conferir um sabor salgado para a cerveja após o fim do processo de fabricação.

Leia também: Como ter uma vida saudável

O impacto da química da água na cerveja

  • Alcalinidade e pH altos dão origem a sabores adstringentes;
  • Alcalinidade alta e pH baixo resultam em cervejas encorpadas, como as do tipo Ale;
  • A água extremamente rica em minerais é boa para a fabricação de cervejas amargas, como as do tipo Stout;
  • A água sem tantos minerais é boa para a produção de cervejas claras tipo Pilsen e algumas variantes do tipo Lager.